RAIA HISTÓRICA

RAIA HISTÓRICA2016-06-02T16:17:00+00:00

A Raia Histórica – Associação de Desenvolvimento do Nordeste da Beira caracteriza-se por ser uma Associação sem fins lucrativos cujo principal objectivo é o Desenvolvimento Local em todas as suas abrangências.
Este é um projecto que teve o seu início no ano de 1996 e é fruto da vontade de dinamizar toda esta região, fustigada pelo desemprego, pela imigração e pelo envelhecimento da população.

A área da Raia Histórica caracteriza-se por ser toda ela do interior beirão, zona raiana de fortes ligações à nossa vizinha Espanha, englobando os concelhos de Almeida, Figueira de Castelo Rodrigo, Mêda, Pinhel e Trancoso.
Entre os associados da Raia Histórica compreendem-se pessoas individuais, empresas, instituições sem fins lucrativos e câmaras municipais, tendo em comum todas elas o desejo de implementar novas ideias que possam contribuir para a divulgação e a conservação de todo o nosso património histórico – cultural, bem como o objectivo também este considerado como sendo primordial de criar uma ambiência que leve as pessoas a fixarem-se nesta região, posso dar um exemplo que é por nós considerado como sendo fulcral, designadamente o dos emigrantes, que se encontram numa fase de regressarem às suas origens e que podem ser grandes dinamizadores de toda esta região, dado que poderão investir no comércio e na indústria da mesma, o que vai levar a que sejam criados mais postos de trabalho, conduzindo certamente à fixação de juventude, que de momento se depara com fortes problemas de integração no mercado de trabalho desta região.

Este objectivo é primordial, mas não se pode abandonar a ideia de que os jovens também têm outras necessidades, como é o caso dos divertimentos e de toda a área cultural de que eles mesmos se queixam, para tentar colmatar este problema tenta-se promover projectos que dinamizem toda esta zona e apresentar aos jovens eventos a que eles não estão muito habituados, como é o caso de exposições temáticas, que os levem a encarar a cultura não como uma “chatice”, mas como algo que os deixa mais preparados para a vida que têm pela frente e de certo modo pensa-se que com este certames também estamos a contribuir para a fixação da população nesta zona já tão desertificada.

São estes os pressupostos para todo o trabalho que se tem vindo a desenvolver nestes anos e que se enquadra na análise e educação de e para o desenvolvimento local; na revitalização de actividades tradicionais, culturais e produtivas; na emergência de produtos e actividades, na organização e concentração da oferta local e por último na promoção e incrementação de todo o tipo de actividades que levem à divulgação e preservação de todo o conteúdo histórico e cultural de que a zona de intervenção é detentora.